Sobre


Já tenho blog há tanto tempo e com tantos endereços que até perdi a conta. É possível que eu tenha criado um assim que criei meu primeiro e-mail, então posso dizer que meu "nascimento" na blogosfera se deu em conjunto com meu "nascimento" virtual. As transformações foram tantas e ainda acontecem cada vez mais rápido que existem momentos que me sinto tão desatualizada que pareço mais ferro-velho virtual do que alguém que circula nesses meios com tanta frequência. Da época das imagens engraçadas, das dolls e dos gifs coloridos e gritantes, estamos hoje nos blogs de conteúdo, quase jornalísticos, dos blogs "de tudo um pouco" e, principalmente, dos blogs sobre moda e lifestyle. 
O Relativismo Escrito surgiu em 2012 depois da enésima remodelação de blogs que eu fiz. No início eu queria continuar escrevendo meus textos de opinião sem tentar ser muito radical nelas, de A for Arrogance, eu procurei relativizar não só o modo como eu escrevia as coisas, mas também o modo como pensava sobre elas. Talvez tenham sido as consequências das pedras que a vida me jogou. Depois eu já nem queria mais escrever tão abertamente assim minhas opiniões ou reflexões sobre a minha vida, parecia exposição demais. E, na verdade, era. Inconscientemente eu jogava aqui todos os problemas e angústias da minha vida pessoal sob a pretensa capa de serem textos do mundo ou de meras reflexões generalistas de uma "cientista social" em formação. 
Por último, resolvi largar de mão sobre isso tudo e torná-lo um blog literário. Eu sempre li tanto então por que não compartilhar as minhas impressões dos livros? Não apenas isso, mas também expectativas, autores favoritos, mercado literário e quiçá alguns textos de autoria própria. Deixar o espaço livre para poder exercer minha criatividade. Não que eu seja uma escritora, eu acho que estou longe e não tenho muito talento para isso, mas também nunca neguei que sempre foi um sonho almejado e tantas vezes sufocado. Essa última remodelação do blog veio para isso, para suprir essa minha nova necessidade linguística, textual e até mesmo artística.