Ah não...

Atlântida não existe!

Depois de uma vida inteira (nossa, 19 anos) acreditando na existência profunda e magnífica do continente perdido de Atlântida, hoje em torno das nove horas da manhã eu tive essa verdade desfigurada pela revista Super Interessante ao saber que Atlântida só existia mesmo na cabeça de Platão.
AAAH,
como assim, mano?
E a Pequena Sereia?
E o Reino de Atlantis?
E o Aquaman?
E o Cap. Nemo?
E a Lara Croft em TR: Underworld?

Tudo que eu sempre acreditei caiu por terra (ou foi engolido pelo mar...) numa reportagem de meia página. Totalmente indigno isso. Não é uma forma de se começar o dia, ok? De acordo com a reportagem, Atlântida, que é apresentada por Platão nos diálogos de Timeu e Crítias, esse segundo sendo na verdade pseudônimo do próprio Platão, nada mais é do que uma metáfora criada pelo filósofo para ilustrar a soberba. A revista é bem clara ao simplesmente por em termos gerais e expressos que o que significa todo o diálogo platônico é aquela velha história do: "quanto maior a altura, maior a queda". Os Atlantis eram uma civilização avançada que vivia numa ilha localizada no meio do oceano atlântico (ahh, sério?!) além das colunas de Hércules, mais conhecida por mim e vós como o Estreito de Gibraltar, e tinha cerca de 200.000 metros quadrados o que honestamente não sei ao que equivale (esse negócio de geometria nunca foi meu forte, beleza?), mas o que importa é que na época achavam que era algo maior que a Ásia e a Líbia reunidas.
E de qualquer forma a história resume-se no fato de que por serem avançados, os Atlantis resolveram invadir Atenas, mas graças a coragem dos atenienses e também a eventos cataclísmicos, ou simplesmente algum castigo dos Deuses, do dia pra noite o continente afundou no oceano e se perdeu. The end. 
Eu ainda prefiro acreditar que seja o lar da Pequena Sereia.
Fato é que até durante um tempo a suposta existência de Atlântida tinha sido levada a séria por aqueles estudiosos ou crentes esotéricos e misticitas, e até mesmo alguns religiosos (numa fonte que eu pesquisei o autor se refere como pseudo-ciências, só que achei o termo pejorativo). Mas a busca e a crença só foi realmente levada a séria a partir dos estudos de um cara chamado Heinrich Schliemann, mais conhecido por mim e alguns de vós que são estudantes da área de humanas (mas principalmente ciências sociais e história) como pai da Arqueologia Moderna. Bem, pra variar o Schliemann era alemão e autoditada como uma leva dos grandes teóricos de humanas. E ele só foi o cara que comprovou que a história da Íliada de Homero não era apenas fantasia e que Tróia existiu. Só isso. Agora será que o Heitor era realmente tão gato como o Eric Bana? Ah, e descobriu e roubou o tesouro de Príamo. De qualquer forma, depois dessa descoberta, praticamente tudo que Schliemann dizia as pessoas acreditavam ser verdade, como por exemplo Atlântida, e mesmo após ele ter morrido em 1890, as especulações sobre o continente perdido apenas aumentaram e se difundiram pelo mundo.
Mas como diz Platão op cit na Revista Superinteressante: "O grande desafio é achar um conto que sirva ao nosso propósito". Bem, ele achou Atlântida.
E acabou meus sonhos, ai ai.


Ok,
Na real só vim aqui pra dar as caras.
Saudades de escrever minhas besteiras.

2 comentários:

Seu comentário é importante pra mim! :)