O medo e a insônia



Por que tanto medo?
Eu me pergunto isso toda vez, a cada madrugada com insônia que resolvo refletir seriamente na minha vida, onde, a despeito do dia mais feliz que eu possa ter tido, eu me aproximo daquele buraco negro que um dia quase me consumiu. Depressão? Não, não acho que tenha sido isso. Houve um momento em que eu acreditei que estava, mas se eu for pensar direito, eu sempre fui assim. Sempre tive esse lado escuro que me assusta, que eu tento escapar, mas não consigo. Nunca consigo.
Um buraco cavado pelo medo em meio a um terreno fértil de pessimismo e insegurança.
Essa sou eu, verdadeiramente. Sozinha.
Preciso todos os dias de uma dose de confiança, de coragem, de brilho, de esperança, pra conseguir atravessar a vida sem muitas sequelas e machucados, sem voltar correndo para o casulo seguro e impenetrável da minha solidão. Queria que isso fosse superado, que não fosse um problema, mas como dizer que não se meu prognóstico de vida diz o contrário, que eu não teria razões pra sofrer esse mal como eu sofro?
Eu tenho medo de falhar. Medo de arriscar. Medo de sofrer. E a cada vez que isso acontece, meu medo só aumenta. A resignação de que eu não sou tão boa assim, a conformação de que essa é a vida que eu tenho e é melhor me contentar. A falta de disposição de ir além, fazer algo mais, ser alguém. O ceticismo em relação às pessoas. Elas não mudam, elas vão me decepcionar. Ou pior, eu vou decepcioná-las, por que eu não mudo. Por que eu não sou o que elas pensam.
Eu sou fraca, a verdade é essa. Meu riso esconde minha insegurança. Minha ironia, a timidez. Minha preguiça, o medo de tentar. E toda vez que eu tento fugir desse redemoinho, que eu estou quase confiante de que há esperança, de que não existem razões para ter medo, que viver os momentos, bons e ruins por inteiro é melhor do que viver uns poucos momentos bons seguros e pela metade, mais uma noite de insônia me vem e me puxa para o fundo.
Mas amanhã vai ser um novo dia, e eu vou me afastar desse buraco e respirar um pouco a liberdade de poder sonhar e confiar em um futuro melhor, conquistado por mim, por que eu tive confiança o suficiente, eu acreditei em mim mesma. Um futuro onde aqueles que me importam se orgulhem.

Um comentário:

  1. Meio confuso, mas até agora de todos os textos que eu li sobre "eu e meus medos" de longe o teu foi oq eu mais gostei :O

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante pra mim! :)