Sobre igualdade, preconceito e Hobbes

"Atribui a outro a culpa por não ter mais, declara as uvas verdes, mas não fica em paz"


      Seria simples se pudéssemos definir uma pessoa apenas pelos seus gestos, seu estilo, seu tom de voz, e suas palavras. Mas embora essas coisas nos tragam uma ideia sobre alguém, não é a ideia completa, não é a essência e, portanto, não passa de mais uma dissimulação para cairmos no pré-conceito. Quantas vezes eu não achei que alguém era de tal jeito apenas para depois de uma conversa, um tempo junto ao acaso, descobrir a precipitação do que eu achava sobre ela e do quanto era errada. Uma pessoa legal à primeira vista, mau caráter a segunda. Uma pessoa sensível de imediato, que acabou sendo mais forte do que eu seria se estivesse no lugar dela. 

"O maestro bem falou, a ofensa é pessoal, quem aponta o traidor é quem foi traído."

      Mal-entendidos acontecem, má compreensão também e isso tudo por que assim como o resto do mundo, somos imediatos, brigamos quando nos exigem respostas rápidas, mas exigimos a mesma velocidade ou mais das outras pessoas, das outras coisas. E no final, quando alguém faz um juízo de valor errado sobre nós, achamos injusto, nos irritamos e ficamos perguntando quem é? O que tem? Para ter a ousadia de nos criticar não é? Como se não fizéssemos isso o tempo inteiro com os outros, nunca enxergamos esse pequeno detalhe. O que o outro faz não é muito diferente do que nós fazemos em determinado momento, isso por que ele nos é semelhante, no fundo, no fundo, somos todos iguais e é essa igualdade que não deixa com que nós consigamos viver em paz. Hobbes já escrevia sobre isso séculos atrás e até agora, quando passo o olhar pela história, tudo apenas se confirma.
         Não acho que o maior defeito do homem seja o ódio ou a vingança. Não, o maior defeito do homem é a hipocrisia mesmo. Por que somos tão hipócritas, mas tão hipócritas, que nem admitir isso a gente consegue. Por que admitir isso, é admitir que o problema do mundo, todo, é nosso mesmo. Não do vizinho, do Beltrano, é de todos.


"E, vítima de si, despreza o que nunca vai ter. O mais verde é sempre além do que se pode ter"


Obs: Trechos em negrito são da música Fracasso da Pitty.


2 comentários:

  1. É verdade, temos sempre que dar uma 'chance' para qualquer pessoa mostrar o que realmente é, tirar conclusões precipitadas podem, as vezes, acabar nos levando a não conhecer um pessoa muito boa, que pode nos acrescentar muito!

    Da uma passada no meu blog que está em pré lançamento (:
    http://pocants.blogspot.com/2011/06/teste-video.html

    ResponderExcluir
  2. Falou tudo, somos imediatos, reagimos de acordo com o momento, por isso somos espontâneos e sermos assim não nos damos chance de admitir algo que feriria nossa personalidade... E é verdade as vezes nos enganamos com as pessoas.

    Beijos

    ResponderExcluir

Seu comentário é importante pra mim! :)